quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Mulher Borboleta




Menina franzina, de olhar atento,
carregou no ombro o peso do pranto.
Tantas lágrimas de desencantos
evaporadas pelo calor de julgamentos.

Trouxe no semblante traços de dor
gerados por flores de pétalas afiadas.
Venenos disfarçados em cálices de amor,
goles tragados com a boca amordaçada.

Menina que se fez mulher borboleta
criando voos em  bosques desconhecidos,
Jardins floridos de pétalas aveludadas
que enfim despertaram sonhos amortecidos.



3 comentários:

  1. Parabéns Luciana, seja sempre muito feliz e com a graça de se manter linda assim pela eternidade!!!!! Bjs do ZC

    ResponderExcluir
  2. Beth Moretti Lemos4 de janeiro de 2012 21:25

    Lú, linda poesia! Adorei mesmo! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Lú que lindas palavras para expressarem "os jardins floridos que todas as meninas-mulheres" passam, em uma ou outra época, feitas Lispector, na primavera... suas palavras sempre nos encantam no Facebook, era de se esperar que nos encantassem ainda mais, neste seu Cantinho tão aconchegante!!!

    Nossa vontade é de não sair daqui rsrsrs... ver, ler e "viajar" em toda tua arte, sensível e carinhosa....

    Eu fiquei apaaaaixonado pelo seu perfil Lú!!!! És sem dúvida alguma "Arquiteta dos símbolos e verbos, artesã das metáforas e analogias. Uma poeta que se desprende do casulo e realiza seus voos líricos..."

    Queríamos mais tempo minha amiga, para vir com mais frequência... com certeza com tivermos mais, mais vezes estaremos aqui, lhe prestigiando e nos presenteando com toda tua sensibilidade....

    Beijos.... Muryel & Sheila

    ResponderExcluir