domingo, 9 de dezembro de 2012

Redenção




Recuperei o fio da meada,
reconstruí a face mutilada
e toquei o alto da muralha.

Juntei fragmentos,
alarguei passos
e inventei asas.

Aprumei as velas a favor dos ventos.

Esculpi tentáculos em pedras de gelo,
imprimi penitências e glórias
e transformei mortalhas em cortinas.

Evoquei inspirações e rimas,
desabrochei em poesias
e escrevi Reversos (in)Versos.

Minhas letras pariram a verdade.

Redenção...



domingo, 2 de dezembro de 2012

Cavalgada da inspiração




Trota a inspiração
sem freios
ou estribos
rédeas soltas
ignora cercas
e muros de arrimo.

Cavalgam ideias
sem trilha
ou rumo
cavalo tropeça
falta o prumo.

Pensamentos à galope
levantam poeira
palavras em disparada
crinas douradas
versos ao vento.

Hora do pinote
poema voa
perde-se no ar.

Era uma vez um mote...



sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Delírios





Teu aroma se sobrepõe a tua ausência
e espero-te na curva dos meus delírios,
vontade nutrida pelo calor dos teus olhos
e ornada pelo viço da tua pele.

O desejo com que me invades
faz chispas de prazer e medo,
eriça meu ventre tão pleno de nada
habituado em conter tantas revoadas.

Tua fome sobre mim é lume
e sacia meu suspiro desse instante.
Deito-me nos braços do meu gozo,
onde me esqueço e me encontro.

Depois, nuvem à deriva,
dissolvo-me na realidade...




Poema de gratidão



Riste de mim, sei disso,

dessa pueril ingenuidade
que me assola desde sempre,

da minha tola persistência
em crer na bandeira branca,

dessa minha frenética utopia
em desanuviar tempestades,

da eterna tentativa de
preencher os sulcos do arado. 

Riste de mim, é tudo que sei.

Ironia que se fez impulso
para meu emergir das águas,

que se fez ventania para
meu voo colorido.

Sim, riste de mim.
E grata sou.



sábado, 24 de novembro de 2012

Sobre força de vida




Quem já se consumiu em seu próprio caldeirão
 não se deixar queimar pelas faíscas que o vento traz. 



sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A história do "fazeu"




Uma das coisas que mais me deixam perplexa é a maneira preconceituosa que alguns julgam a vida e o trabalho alheio, convictos que habitam em uma esfera superior, até intocável, onde reside a verdade absoluta.
Outro dia ouvi de uma catedrática que os “best-sellers” são demasiadamente pobres e lhes causam asco, razão pela qual não os lê. Compreendo que seu nível de exigência é alto e que aprecia uma literatura refinada. Até aí tudo bem, mas dizer que se sente enojada?!..Será que não percebe que tais livros podem beneficiar e entreter milhares de pessoas através de uma linguagem acessível e que muitas que não têm o hábito da leitura podem começar a gostar de ler?
É claro que aprecio os bons livros, principalmente os clássicos, mas confesso que não tenho o menor preconceito com literatura de massa.
Acho um desperdício focarmos apenas no lado negativo das coisas. Criticar tudo o tempo todo torna a pessoa ranzinza, azeda e infeliz. O negativismo mina o prazer de viver, afinal o que há de agradar alguém tão exigente?!
Conheci a história de um rapaz que não teve condições de terminar seus estudos, mas que nem por isso se intimidou diante da vida. Abriu um pequeno comércio, ainda bem moço, e trabalhou arduamente. A loja cresceu muito e com o tempo abriu filiais. Buscou cursos de aperfeiçoamento e aos poucos foi ganhando mais conhecimento técnico. Seu negócio prosperou de tal forma que hoje o país inteiro é abastecido com seus produtos. Descobri que durante as palestras iniciais ele cometia alguns erros crassos de português, motivo de grande chacota e desdém. Costumavam brincar: “Esse é o cara. O cara que “fazeu”. Sim, de fato ele fez mesmo... fez bonito e continua fazendo. A despeito das dificuldades e erros, do olhar torto e do preconceito que o espreitava, jamais perdeu o entusiasmo pelo trabalho e por aprender coisas novas.

Longe de fazer uma apologia à ignorância ou à falta de qualidade, penso que é preferível uma ação à pura e simples retórica.
Como bem escreveu Vinícius de Moraes: “A vida só se dá pra quem se deu”. Um  viva para quem sonha e realiza e um viva ainda maior para quem não se intimidou e “fazeu”!




terça-feira, 20 de novembro de 2012

Sonhos Rubros



Em meu leito de sonhos rubros
meu ventre amanhece orvalhado.
Sonho meus dedos sendo os teus
e consagro um desejo de pecado.

Tua boca é minha taça de absinto
e cada gole é fermento para a volúpia.
Tua língua vibra nas minhas entranhas
onde habitam vontades impublicáveis.

Invade-me teu perfume de alquimista,
um amálgama de aromas e sabores.
Nesse instante sou grito de prazer e glória
e posso afirmar que visitei o paraíso...



domingo, 11 de novembro de 2012

Em outro lugar




O suco tem
o sabor
que a fruta fresca
não tem.
  
A saudade tem
a presença
que a pessoa presente
não tem.
  
A poesia tem
a intensidade
que a fonte inspiradora
não tem.
  
Porque o sabor,
a presença e a intensidade das coisas
não estão onde as coisas estão...



sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Coração de ave




Escondo meus medos
no contorno
dos teus mistérios.

Bebo-te num só gole
- sedento e inocente-
e encolho-me no peito da manhã.

Vigio meu coração de ave
(arrojo de rasantes e alturas)
que (re)pousa em teus quintais
e adormece em teu interior...



domingo, 30 de setembro de 2012

Ser poeta





Tenho um caso de amor com as letras.
Vivo grávida de pensamentos e dando à luz poemas...




sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Sobre a verdade



O tempo revela quem estende a mão tanto 

para nos ajudar na caminhada 

quanto para nos puxar para o precipício...



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

domingo, 9 de setembro de 2012

Bolo inteiro




Da vida,
quero a seiva
que circula
 na intensidade
dos dias.

Quero
o sumo
que escorre
dos momentos
sem cerimônia.

Quero o bolo
inteiro,
cereja, cobertura
 e recheio.

Dispenso parcimônias...




quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Sobre amadurecimento


...E o tempo lhe ensinou que

não precisava mais esconder suas fragilidades

 e sim usá-las a seu favor...



sexta-feira, 31 de agosto de 2012

domingo, 26 de agosto de 2012

Alma peregrina



Caminha, menina,
abarca tua sina,
atravessa o risco
do azul dos teus dias.

Percorre nuvens,
campos, avenidas
e celebra o hino
das frutas colhidas.

Caminha , menina,
enfrenta o deserto,
carrega teu manto
encharcado de pó.

O vento já molha
e a semente já brota,
floresce em teu ser
uma rosa de Jericó.

Corre, menina,
que a noite espreita.
Não durmas ainda,
a canção não é finda.

Corre, menina,
abraça tua sina
e proclama ao mundo
tua alma peregrina...



quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Sobre verdadeiro amor



O que torna uma pessoa especial em nossa vida está além da afinidade e admiração.

Está na capacidade que ela tem em nos deixar livres para sermos de fato quem somos...

Está na demonstração de afeto não apenas através das palavras, mas principalmente pela cumplicidade de um silêncio necessário.

Inesquecível mesmo é quem consegue adentrar nossa redoma de melindres e acolher nossa verdade mais profunda...



domingo, 5 de agosto de 2012

Sobre a vida




Sinto um cansaço perene de tudo aquilo que é tom pastel. 
De tudo que não se curva e de tudo que sente com as pontas dos pés. 

Minha alegria mora no viço do olhar atento, 
no tato que não vacila e no laço que cria comunhão. 

O que me move de verdade é a poesia que me habita e que intumesce meus sentidos...




domingo, 29 de julho de 2012

Mulher de malabares




Mulher de muitas asas,
movimentos e ritmos,
de ancas que dançam sob
a verdade do sol.

Fêmea de nuances, 
mosaicos e estações
desvela sua lucidez,
despe o pudor e
fica nua de amor.

Mulher de malabares
equilibra crias e ninho
e coleciona sonhos gastos
no compasso
dos novos passos.

Fêmea de alva e rubra cor,
de tempestades e garoas,
de versos, inversos e avessos...



sexta-feira, 27 de julho de 2012

Sobre os limites da vida



....Até que um dia, depois de tanto sentir 

o brilho escapar,  descobriu que seus braços eram curtos demais

 para abarcar tantos sonhos...




quinta-feira, 19 de julho de 2012

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Sobre fantasias




Muitas vezes, imaginar é mais interessante que conhecer 

e fantasiar mais prazeroso que realizar...